Pesquisar este blog

domingo, 21 de março de 2010

A Grande Tribulação

A Grande Tribulação ocorrerá após o arrebatamento da Igreja. Esse período recebe as seguintes denominações na Bíblia Sagrada:

a) Dia do Senhor (Sofonias 1.14)

b) Dia da Angústia de Jacó (Jeremias 30.7)

c) Ira do Cordeiro (Apocalipse 6.15-17)

d) Dia de angústia e de ânsia (Salmos 1.15b)

e) Dia de trevas e escuridão (Salmos 1.5a)

f) Dia da vingança de nosso Deus (Isaías 6.2c)

Segundo Daniel 9.20-27, esse tempo é conhecido como a 70ª Semana de Daniel que equivale á sete anos e é dividida em duas metades:

I) O primeiro período durará três anos e meio e será marcado pelo reinado absoluto do anticristo. Nessa fase, Israel terá pleno domínio sobre Jerusalém, por causa do pacto feito com o anticristo que promoverá a reconstrução do Santo Templo destruído pelo império romano no tempo da era cristã. Após a reconstrução o anticristo assentará no Santo Templo em Jerusalém e será aceito tanto pelos judeus quanto pelos gentios.

A partir desse momento, será propagado o engano religioso que se trata dos ensinos do anticristo. Esses ensinos possuem dois objetivos que são negar a Jesus e a Deus. Consequentemente a esses ensinos será instituída a igreja do anticristo. (Apocalipse 17.18/Ap 17.1b/Ap 17.2/Ap 17.3b)

Além disso, o anticristo como político criará leis que tornará legais seus atos. (Daniel 7.25b) Um exemplo para isso será a implantação de um sistema monetário que terá o propósito de manipular toda e qualquer transferência financeira, por causa disso será instituído um processo de identificação pessoal que será semelhante ao código de barras dos produtos comercializados hoje no mundo.

O profeta Daniel no capítulo 7 mostra de maneira simbólica a terrível natureza do governo do anticristo. Esse governo é comparado ao Leão, referindo ao poder do império romano, ao Urso, que faz alusão ao poder do império medo-persa, e ao Leopardo que faz menção ao poder do império grego.

O governo do anticristo em Apocalipse 13.1a, b será constituído da seguinte maneira: um nome de blasfêmia (anticristo), dez diademas (pactos), dez chifres (reis) e sete cabeças (continentes). Também contará com a segunda besta que será o falso profeta (Apocalipse 13.11a, b) e esse profeta exaltará o anticristo (Apocalipse 17.12).

Referências Bibliográficas

Fonseca, Claúdio. Apostila de Escatologia. Alagoas:FAFITEAL(Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas), 2002.

Almeida, João Ferreira de. Bíblia sagrada, versão Impressa Bíblica Brasileira.

Revista Lições Bílicas. Vem o fim, o fim vem-A doutrina das ùltimas coisas. Rio de janeiro:CPAD, 2004.

Filho, Pr.Felizardo Batista da Silva. O anticristo e a grande tribulação,São Paulo: Alfa e Omega Edições,2008. p. 15-18.

Nenhum comentário:

Postar um comentário