Pesquisar este blog

domingo, 6 de julho de 2014

Os sinais da volta de Cristo


(Mateus 24.1-14; 1Tessalonicenses 5.1-3; 1Timoteo 4.1-3; 2Timoteo 3.1-9)
Nos estudos proféticos, “sinal” é tudo aquilo que possibilita prever ou reconhecer a aproximação de um fato profético relevante. Os sinais relativos à volta de Jesus têm como objetivo principal alertar aos salvos a estarem preparados para o arrebatamento da igreja. Os sinais da volta de Cristo referentes a Israel.
A nação de Israel foi escolhida por Deus para ser o personagem de seu plano inicial e tornar-se o palco da revelação de sua glória e constituir também em um grande sinal da vinda de Cristo.
Na Bíblia há importantes profecias quanto a Israel, vejamos:
a) O surgimento do povo (Gênesis 12 e 13)
b) O seu território
(Gênesis 15.17-21 que diz: “E sucedeu que, posto o sol, houve densas trevas; eis um fogareiro fumegante e uma tocha de fogo que passou entre aqueles pedaços.
Naquele mesmo dia, fez o Senhor aliança com Abrão, dizendo: À tua descendência dei esta terra, desde o rio do Egito até ao grande rio Eufrates: o queneu, o quenezeu, o cadomoneu, o heteu, o ferezeu, os refains, o amorreu, o cananeu, o girgaseu e o seu jebuseu.”)
c) O seu período como escravo
(Gênesis 15.13-14 que diz: “então, lhe foi dito: Sabe, com certeza, que a tua posteridade será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos.
Mas também eu julgarei a gente a que têm de sujeitar-se; e depois sairão com grandes riquezas.”)
d) A sua libertação
(Êxodo 3.8-10 que diz: “por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra boa e ampla, terra que mana leite e mel; o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu.
Pois o clamor dos filhos de Israel chegou até a mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo.
Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.”)
e) A conquista de seu território
(Josué 1.3-6 que diz: “Todo lugar que pisar a planta de vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu prometi a Moisés.
Desde o deserto e o Líbano até ao grande rio, rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até ao mar Grande para o poente do sol será o vosso termo.
Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei.
Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais.”)
Há profecias que abordam a expulsão de Israel da terra (Levítico 26.14-15,31-35 que diz: “Mas, se me não ouvirdes e não cumprir todos estes mandamentos; se rejeitares os meus estatutos, e a vossa alma se aborrecer dos meus juízos, a ponto de não cumprir todos os meus mandamentos, e violardes a minha aliança, (…)
Reduzirei as vossas cidades a deserto, e assolarei os vossos santuários, e não aspirarei o vosso aroma agradável.
Assolarei a terra, e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem.
Espalhar-vos-ei por entre as nações e desembainharei a espada atrás de vós; a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas.
Então, a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; nesse tempo, a terra descansará e folgará nos seus sábados.
Todos os dias da assolação descansará, porque não descansou nos vossos sábados, quando habitáveis nela.”). Essa profecia cumpre-se em sua totalidade nos anos 70 d.C. assim profetizado por Jesus Cristo em Lucas 21.24 que diz: “Cairão a fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; e, até que os tempos dos gentios se completem, Jerusalém será pisada por eles.”
A restauração de Israel dá-se de duas maneiras: a restauração política e espiritual. Esta última ocorrerá na volta em glória de Cristo no final da Grande Tribulação, no entanto a restauração política é o sinal cumprido.
Conforme analisamos, Israel espalhou-se (Levítico 26.33 que diz: “Espalhar-vos-ei por entre as nações e desembainharei a espada atrás de vós; a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas.”) entre as nações, mas Deus declarou que voltaria a reunir Israel (Deuteronômio 30.1-6 que diz: “Quando, pois, todas estas cousas vierem sobre ti, a benção e a maldição que pus diante de ti, se te recordares delas entre todas as nações para onde te lançar o Senhor, teu Deus; e tornares ao Senhor, teu Deus, tu e teus filhos, de todo o teu coração e de toda a tua alma, e deres ouvidos à sua voz, segundo tudo o que hoje te ordeno, então, o Senhor, teu Deus, mudará a tua sorte, e se compadecerá de ti, e te ajuntará, de novo, de todos os povos entre os quais te havia espalhado o Senhor, teu Deus.
Ainda que os teus desterrados estejam para a extremidade dos céus, desde aí te ajuntará o Senhor, teu Deus, e te tomará de lá.
O Senhor, teu Deus, te introduzirá na terra que teus pais possuíram, e a possuirás; e te fará bem e te multiplicará mais do que a teus pais.
O Senhor, teu Deus, te circuncidará o teu coração e o coração de tua descendência, para amares o Senhor, teu Deus, de todo o coração e de toda a tua alma, para que vivas.”). Em Lucas 21.29, lemos: “Olhai para a figueira”. Essa figueira simboliza “Israel” e o brotamento a sua restauração, exatamente o que aconteceu, vejamos:
O congresso sionista de Basileia ocorreu em 1897, na Suíça, e o Dr. Theodor Herzl lançou a idéia: que todas as nações deveriam reconhecer Israel como lar oficial dos judeus.
No final da Primeira Guerra Mundial, em 1917, Israel tornou-se Colônia Britânica, o que concedeu aos judeus um maior padrão de autonomia.
Em 14 de maio de 1948, David Bem Gurion leu a declaração de independência da nação hebréia, fundando o Estado de Israel.
Jesus antecipou a restauração de Israel ao evocar o renascimento da figueira em Mateus 24.32 que diz: “Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão.”
2. Os sinais da volta de Cristo referentes:
a. À terra
Quando Jesus morreu a terra reagiu (Mateus 27.51 que diz: “Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas;”) e até hoje reage anunciando a vinda de Cristo (Romanos 8.22-25 que diz: “Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.
Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera?
Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos.”). Vejamos:
Século 12 – Houve 84 terremotos
Século 13 – Houve 115 terremotos
Século 14 – Houve 134 terremotos
Século 15 – Houve 174 terremotos
Século 16 – Houve 258 terremotos
Século 17 – Houve 378 terremotos
Século 18 – Houve 640 terremotos
Século 19 – Houve 2119 terremotos
b. Ao mar (Lucas 21.25 que diz: “Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; sobre a terra, angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas;”)
O maremoto gerou temores de uma repetição da tragédia provocada pelo tsunami de 26 de dezembro de 2004 na ilha indonésia de Sumatra.
O maremoto foi provocado por um potente terremoto submarino, de 7,7 graus, segundo o Instituto Nacional de Geofísica Norte-Americano (USGS), registrado na segunda-feira à tarde no Oceano Índico, ao sul da ilha de Java.
O hipocentro do terremoto, o foco real, a 10 km de profundidade, foi localizado pelo USGS diante da ilha de Java, a 358 km da capital, Jacarta. A zona mais afetada parece ser Pangandaran, um pequeno balneário situado na costa sudoeste de Java.
Na ocasião, vários países do Oceano Índico foram afetados e quase 220.000 pessoas morreram, 168.000 delas na Indonésia.
c. À sociedade
Apesar de parecerem sem importância para os incrédulos, todos os sinais relacionados a vinda de Jesus tem de ser bíblica e teologicamente considerados. Vejamos:
I) Divórcio (Lucas 17.27 que diz: “Todavia, aos casados, mando, não eu, mas o Senhor, que a mulher se não aparte do marido.
Se, porém, se apartar, que fiquem sem casar ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.”)
II) Culto ao corpo (Lucas 17.27)
III) As drogas (Apocalipse 22.15 que diz: “Fora ficam os cães, os feiticeiros, os impuros, os assassinos, os idólatras e todos aqueles que ama e pratica a mentira.”)
IV) O salário (Tiago 5.4 que diz: “Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.”)
V) A fome (Lucas 21.11b que diz: “epidemias e fome em vários lugares”)
VI) Epidemias (Lucas 21.11b que diz: “epidemias e fome em vários lugares”)
VII) Crise mundial (Mateus 24.6,7, 10 que diz: “E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim.
Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; (…)
Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros;”)
VIII) Revoluções (Mateus 24.7b que diz: “reino contra reino”)
d. Ao meio religioso
I) Falsas doutrinas (1Timoteo 4.1 que diz: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios,”)
II) Perseguições (Mateus 24.9 que diz: “Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.”)
III) Ecumenismo (Apocalipse 13.12 que diz: “Exerce toda a autoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortal fora curada.”)
A palavra ecumenismo vem do grego Oikomenikos que é a união universal indistinta entre as várias instituições religiosas. É de fato o desejo do anticristo.
IV) Apostasia (2 Tessalonicenses 2.3 que diz: “Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição,”)
A palavra apostasia vem do grego apostasia e significa a abandono consciente e pública da fé que foi confiada aos santos (Judas 3 que diz: “Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos.”).
Características dos apostatas (2Timóteo 3.1-5 que diz: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmo, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural. Irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficiência dela. Destes afasta-te.).
V) Escândalos e traições (Mateus 24.10 que diz: “Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros;”)
VI) Falsos profetas (Mateus 7.15 que diz: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.”)
VII) Desamor (Mateus 24.12 que diz: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.”)
VIII) Glutonaria (Lucas 21.34 que diz: “E olhai por vós, para que não aconteça que vosso coração se carregue de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.”)
IX) Alcoolismo (Romanos 13.13 que diz: “Andemos honestamente, como de dia, não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja.”)
X) Desagregamento sexual (Lucas 17.27 que diz: “Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e consumiu a todos.”)
3. Conclusão
Não sabemos a data do arrebatamento da igreja. De uma coisa, porém, temos absoluta certeza: Jesus não tardará a voltar. Os sinais e profecias estão alerta-nos de que esse dia está muito próximo. Maranata, ora vem Senhor Jesus.

Referências
Fonseca, Claúdio. Apostila de Escatologia. Alagoas:FAFITEAL(Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas), 2002.
Almeida, João Ferreira de. Bíblia sagrada, versão Impressa Bíblica Brasileira.
            Revista Lições Bílicas. Vem o fim, o fim vem-A doutrina das ùltimas coisas. Rio de         janeiro:CPAD, 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário